segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Sobrevivencialistas e Preparadores não são loucos!


Sobrevivencialistas e Preparadores não são loucos!


........... Muitas pessoas acreditam que preparadores e sobrevivencialistas são loucos, obcecados ou até mesmo desocupados que esperam constantemente o fim, mas espere um pouco existe algo muito errado nesse contexto, pois nós não esperamos o fim e sim queremos estar preparados para enfrentá-lo. E mais do que isso queremos estar preparados para qualquer coisa que coloque nossa sobrevivência, de familiares e pessoas próximas a nós em risco. Muitos questionam a preparação, mas poucos percebem que fazem isso no dia a dia, pois preparação e sobrevivencialismo é a técnica (se assim podemos chamar) que usamos para preservar nossas vidas em situações de risco, adversidade ou dificuldade, seja por catástrofes naturais, problemas econômicos, sociais, diplomáticos ou qualquer coisa que afete o equilíbrio de nossa existência. Preparação se faz todo dia e até sem se perceber, mas como isso acontece? Isso é simples de responder. Parando para analisar as situações do dia a dia podemos citar como exemplo aquela tranca a mais que colocamos nas portas e janelas, alarmes, cercas e outras proteções residências para evitar que a violência urbana adentre nossas casas, isso é uma preparação que todo mundo faz. Quando as pessoas fazem hortas orgânicas em casa, quando usam fogão de lenha, quando fazem cisternas para aproveitar a água das chuvas, quando mantém kits de primeiros socorros em casa ou no carro e muitas outras coisas que podemos relacionar nessa lista que não tem fim, de atitudes e atividades que as pessoas fazem e sem perceber estão trabalhando a favor da sua própria segurança e sobrevivência. Então porque quando assumimos publicamente o compromisso de zelar por nossa própria vida e existência somos loucos? Quando na verdade fazemos o que muitas pessoas já fazem com a pequena diferença de termos um objetivo claro e o tratar com mais importância que o costume da maior parte da sociedade. Afinal confiar plenamente sua segurança e sobrevivência a um Governo deficiente será mesmo a melhor opção? Mesmo este trabalhando para manter a segurança, saúde e outros serviços, que em quase 100% são falhos ou ineficientes. Aí esta o ponto crucial da questão, nós sobrevivencialistas não confiamos plenamente no Governo e também não confiamos que este será tão efetivo para nos socorrer na hora da necessidade. E em razão disso estudamos, planejamos, aprendemos e executamos tudo que for possível para termos uma chance a mais de garantir nossa sobrevivência e existência, seja qual for a circunstância ou local em que estivermos.
Não somos loucos, obcecados ou desocupados que esperam o fim. Somos realistas, somos sobrevivencialistas!

“Em terra de Ignorantes a verdade é chamada de loucura”.


Por: Fernando Zimmermann.